Páginas

domingo, 30 de dezembro de 2012

Quinquagésima Quarta Carta: Sorriso

"Não importa o quanto machuque, o sorriso dela me inspira. É inspiração para as minhas poesias, para os meus devaneios, para as minhas canções, para as minhas orações. É remédio para minh'alma, cura quaisquer dos meus males à livre escolha de disparo-cego. É um sorriso perfeito que escreve e combina com seu nome. [...] É um nome que me agrada. É pequeno, cabe perfeitamente no perfil de uma mulher carinhosa, amigável e delicada. Combina com os olhos castanhos, com a pele alva e com as madeixas negras. Ela está sorrindo. É um sorriso que também me agrada, onde o lábio superior – que é mais fino que o de outras garotas, mas nada exagerado – praticamente some ao se esticar. Ela é delicada, torno a dizer. [...] E não importa o quanto dure o sorriso, por mais célere que seja... cura uma geração de chibatas que suportei... que suportei para fazê-la sorrir."

Ééé pessoal, retomei à escrita do Coração Tinteiro. Deixei o tumblr de lado e agora vai ser tudo comentado aqui. Enfim... espero que gostem do que está por vir. Retomei uma inspiração mais alavancada agora, fruto do mesmo sorriso de outrora, e é a ela que agradeço, mal ela sabendo do que se trata e porque se trata. Mas um dia saberá, assim espero.

Cartas Diretas, 
obrigado.
Postar um comentário