Páginas

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Quinquagésima Nona Carta: Querer.

"Não quero ser o primeiro mais a dizer 'eu te amo' se for pra ouvir um 'também' sem sinceridade tão automático. Não quero ser o primeiro mais a dizer 'adeus' se for pra não ouvir um 'volta' imediato e embargado em lágrimas. Não quero ser o único a ficar preocupado e a imaginar mil coisas se a sua cabeça estiver cheia de 'outras coisas'. Quero ter espaço para mim em seus pensamentos, atos, desejos, sonhos, anseios e medos, no seu dia-a-dia e no seu todo-sempre. Quero fazer mais que parte, assim como você faz na minha vida. Quero ser mais que uma imagem, assim como eu não só a vejo e ouço. Sei que não serei o primeiro a fazer parte de tantos dias que virão, mas quero ao menos ser o único e o último até que o todo-sempre acabe no fim dos dias, pois quero que nada separe essa vontade de fazer parte um do outro. Quero poder dizer o que aqui não cabe sem expressar uma palavra, e em apenas toques singelos poder representar toda uma vontade, todo um desejo, realizando nossas satisfações apenas entre nós dois. Não quero que expresse o que não compreende, que diga o que não sente - e assim diga o que está por dentro, não o que precisa sair por simplesmente achar. Dizer por achar e sentir sem saber é tão diferente quanto o que é importante e o que é essencial. E por isso quero te ajudar a descobrir a diferença entre o importante e o essencial, e aí sim você saberá por onde trilhar pelo o que queremos."

Cartas Diretas,
obrigado.
Postar um comentário